Roberta Campos traz ‘O amor liberta’ aos palcos de BH

O amor está livre em Belo Horizonte, neste sábado (30/7), com o desembarque da cantora Roberta Campos ao palco do Teatro SesiMinas. A apresentação será às 20h e conta com performances de seus maiores sucessos e músicas do novo álbum, “O amor liberta”. Os ingressos para o show homônimo ao disco variam de R$ 60 (meia) até R$ 140 (inteira, primeira fila) e podem ser comprados via site Sympla ou na bilheteria local.

Nascida em Caetanópolis, no interior de Minas, a voz de ‘De janeiro a janeiro’ está animada para se apresentar em seu estado natal, após dois anos de pandemia. “É muito bom voltar e ainda por cima voltar com meu show, encontrar com meu público, é mágico! De alguma forma me sinto voltando pra casa”, contou em entrevista ao Estado de Minas.

O sentimento de libertação e magia será transmitido para a plateia em meio a notas musicais e letras românticas. “Vai ser um show intimista de voz e violão, onde eu e o público entoaremos canções como ‘De janeiro a janeiro’, ‘Minha felicidade’, ‘Casinha branca’, ‘Todo dia’, ‘Miragem’, ‘Começa tudo outra vez’ e muito mais!”, revelou Roberta ao listar algumas das canções do seu repertório para apresentação.

CANÇÕES SENSÍVEIS

O amor sempre foi um tema presente nas composições de Roberta, que lançou seu primeiro álbum “Para aquelas perguntas tortas”, em 2008. Com cinco trabalhos de estúdio e um EP, a cantora deixa sua marca no cenário musical com letras sensíveis e não seria diferente nas composições de seu novo disco.
Para a artista, amor e liberdade estão conectados. “O amor é um sentimento muito nobre e nele existe essa liberdade que precisamos, que nos faz fortes, resilientes, corajosos! Essa liberdade nasce do amor-próprio e reverbera em tudo na nossa vida”, afirma.
O álbum “O amor liberta”, lançado em 2021, conta com 11 músicas e participações de ícones da MPB, como Luiz Caldas, na faixa “É natural”; Hyldon, em “Se a saudade apertar”; e Humberto Gessinger, com “Começa tudo outra vez”. O disco também tem a participação de De Maria, promessa da música brasileira, na canção “Chegou o meu verão”.
Este é o primeiro álbum da artista em seisanos. Para ela, o trabalho nasceu de um lugar de crescimento e amadurecimento pessoal e profissional. O resultado foi um “upgrade” em todos os aspectos: “Tanto nas composições, quanto no meu canto, no meu violão”.
Em “O amor liberta”, Roberta contou com a parceria do produtor Paul Ralphes. “O disco ficou pulsante, moderno e elegante. Tenho muito orgulho do resultado que alcançamos juntos”, afirma.  “Nesse disco fizemos mais camadas de instrumentos e também trabalhei mais camadas de vozes”, acrescenta.

INFLUÊNCIAS

Essa é a principal diferença do novo disco para o seu antecessor, “Todo caminho é sorte”, com o qual Roberta foi indicada a melhor álbum de MPB no Grammy Latino. “O meu som mostrava uma influência mais latente do folk e, portanto, a instrumentação das músicas era mais vazia”, explica.
Além do folk, indie, jazz e bossa nova, o “O amor liberta” tem outras influências sem perder a veia pop da artista. “O disco é mais preenchido. Então, o grande diferencial é esse: é um disco mais sortido, com mais elementos sonoros, que refletem a minha maturidade na música.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens relacionadas